Tarifa social de água e esgoto atenderá 8,7 mil famílias

Foto Carla Ninos/Arsec

A Prefeitura de Cuiabá estabeleceu nesta segunda-feira (26) a ampliação do número de pessoas beneficiadas com a tarifa social nos serviços públicos de abastecimento de água e esgotamento sanitário. Por meio do decreto assinado pelo prefeito em exercício José Roberto Stopa, a capital saltará de 900 para 8,7 mil famílias de baixa renda atendidas. A medida entra em vigor a partir da publicação do documento na próxima edição da Gazeta Municipal.

Além de elevar de 3% para 5% a cobertura da tarifa social, o decreto também flexibiliza os critérios para enquadramento no grupo de pessoas aptas a serem assistidas com o benefício. Entre as mudanças consta o tamanho da área construída que, agora, pode ser de até 80 m² e o consumo médio de energia elétrica igual ou inferior a 120 kWh.

“A tarifa social é um projeto que teve iniciativa do vereador Marcrean e a sensibilidade da gestão Emanuel e Stopa e coube à Arsec fazer a análise técnica de valores para indicar a viabilidade do aumento de 3% para 5% e simplificar os requisitos de acesso ao benefício, sem que isso resultado em nenhum tipo de acréscimo de despesa para os usuários do sistema”, explica o diretor presidente da Arsec, Alexandro de Oliveira.

A ampliação da tarifa social leva em consideração a atual conjuntura econômica, que tem resultado no aumento do número de pessoas em situação de vulnerabilidade financeira e social. O benefício assegura a redução de 50% na tarifa de água e esgoto, categoria residencial, para população de baixa renda. Para o prefeito em exercício José Roberto Stopa, o maior desafio agora é fazer com que as 8,7 mil famílias sejam efetivamente atendidas.

“Não adianta concedermos um benefício e não informarmos aqueles que são mais carentes da existência dele. Não adianta, ampliá-lo para mais de 8 mil famílias e continuarmos apenas nas 900. Então, vamos fazer um intenso trabalho de divulgação, envolvendo a Prefeitura, Arsec, Águas Cuiabá, lideranças comunitárias e toda sociedade civil organizada, para que as pessoas façam bom uso desse direito”, disse Stopa.

© Copyright 2022